Luís Filipe Guerra

Juiz, membro do Centro Mundial de Estudos Humanistas

O mundo pós-pandemia

Um dos exercícios mais complicados da atualidade é prefigurar como será o mundo pós-pandemia, sem que nos limitemos a projetar os nossos temores ou desejos momentâneos, mais grosseiros ou mais elevados, mas sim descrevendo e interpretando as tendências que se desenham nas sociedades humanas dentro de um processo histórico maior.
De outra forma, cada um tratará de ver nesta situação a mera confirmação das suas crenças e expetativas, por mais contraditórias ou insustentáveis que se afigurem.


Refúgios e Esperanças

Estar em casa é um exercício que produz alguma ambivalência, ainda que agora não pressione tanto essa sensação conhecida de estar a perder alguma coisa importante no exterior, porque não há atividades culturais, recreativas ou desportivas, em que se possa participar juntamente com outros.


Experiências do confinamento

Durante esta última quinzena, voltámos a formas de confinamento mais severo, tal como havia acontecido nos meses de março e abril do ano passado.
Passear nas ruas das cidades transmontanas, assim como no resto do país, é agora uma experiência desoladora, com a maioria dos estabelecimentos comerciais, culturais e de ensino encerrados.
E, contudo, a vida continua dentro de portas, adaptando-se melhor ou pior às novas circunstâncias, enquanto aguarda a oportunidade de voltar ao espaço público.


Assinaturas MDB