Abílio Lousada

Abade de Baçal – Príncipe da Cultura Transmontana!

Falecido a 13 de novembro de 1947, Francisco Manuel Alves, Abade de Baçal, é figura de renome nacional e alma do ser e do saber que distingue as gentes transmontanas. A sua biografia, que atravessa os regimes da Monarquia Constitucional, da Primeira República e do Estado Novo, sendo sucessivamente agraciado por aquilo que designava «chocalhos» (condecorações), releva uma tal grandiosidade que só não ultrapassa a personagem porque esta assenta na simplicidade e humildade própria dos sábios e na nobreza de carácter que timbra os grandes senhores.


Mediterrâneo: A Problemática dos Refugiados!

À conta da pandemia Covid-19 e da guerra russo-ucraniana, parece que os demais problemas desapareceram! Porém, a vaga de refugiados que do Norte de África afluem à Europa comunitária desde 2015 é realidade presente, tal como o morticínio que tornou o Mediterrâneo num caixão de águas profundas. Mais de 70 mil pedidos de asilo só em julho deste ano, com igual número de pedidos em três meses consecutivos.


D. JOÃO V – A Medida do Prestígio Régio em Portugal!

Nos 333 anos do nascimento do «Magnânimo», a 22 de outubro de 1689. Rei devoto, absoluto e muito cioso da boa governação, majestático na proteção às artes e ao desenvolvimento da ciência e das letras, foi estadista de referência que recolocou Portugal no mapa. Uma das épocas históricas em que se conjugaram os objetivos fundamentais da Nação: segurança territorial, garante da soberania, bem-estar social e prestígio, interno e externo, do Príncipe. E, no entanto, os traços grotescos da historiografia positivista do século XIX e jacobina da Primeira República emparedou a figura de D.


Do Alto da Serra – A Batalha do Buçaco

Em 1810, Napoleão campeava senhor da Europa, tinha a Espanha sob seu domínio e exasperava pela conquista de Portugal, depois de duas invasões falhadas. Organizou, então, um colossal exército de quase 70 mil militares e escolheu Masséna, tido como l’enfant chéri de la victoire, para comandante da invasão. Travada no contexto da 3.ª Invasão Francesa, a 27 de setembro de 1810, a Batalha do Buçaco constitui-se como uma das mais emblemáticas da Guerra Peninsular e a última grande batalha de cariz internacional travada em território português.


Independência do Brasil – 7 de setembro de 1822!

As Invasões Francesas (1807-1812) e a consequente ida da família real e demais gentes da corte para o Brasil (1807-1821) e a implantação do liberalismo em Portugal (agosto-setembro de 1820) desencadearam um processo que colocou ponto final em três séculos de presença portuguesa no Brasil. Numa altura em que o Rio de Janeiro se apresentava como cabeça do reino e os metropolitanos se sentiam súbditos subalternizados.


Bragança – «CÉDULA DE BAPTISMO»

Anotámos, em texto anterior, que Bragança, enquanto localização no sítio do castelo, nasce em 1130 com Fernão Mendes, no tempo de D. Afonso Henriques. Já a sua «Certidão de Batismo» foi passada em junho de 1187, através da Carta de Foral determinada por D. Sancho I. Estamos perante o primeiro foral atribuído a uma vila em Trás-os-Montes, cujo objetivo era, por um lado, a defesa territorial mediante a obrigação dos residentes em pegar em armas e, por outro, o seu povoamento, através da concessão de direitos e privilégios e de isenções fiscais, militares e judiciais.


Portugal Português e... Camões!

Junho é, por definição cronológica, um mês bem português! Enquanto efemérides marcantes temos o Infante Santo, que depois de cinco anos de cativeiro, decorrente do fracasso da expedição a Tânger, morreu em Fez no dia 5 de 1443. A 7, D. João II celebrou com Castela o Tratado de Tordesilhas, franqueando a rota do Atlântico e do Brasil ao mundo português. 10 é o dia de Camões, de Portugal e das Comunidades Portuguesas. A 12, de 1985, Portugal aderia à então Comunidade Económica Europeia (CEE), abrindo portas para o programático D do desenvolvimento idealizado com o 25 de Abril de 1974.


Assinaturas MDB