Mário Lisboa

A vivência deste País no momento em que predomina entre outros, o problema da guerra da Ucrânia

Andamos nós pela nossa vida normalmente a ignorar as crises que nos rodeiam.
Crise climática? Crise Social? o que é isso?
Atravessamo-las há bastante tempo, com tantas avisos, tantas consequências visíveis e ainda mais consequências negativas por vir. Acabamos por ignorá-las porque em geral, somos privilegiados.
Não vemos a pobreza logo ao lado da nossa porta.
Não estamos propriamente a viver numa estufa, mas quando falamos de covid, guerra ou de sismos, sim já percebemos que existem consequências.


O sistema e os seus valores

Há alguns meses atrás empolgou-se o espaço mediático com a detenção de Berardo. Uma vez mais, não por fatalidade do destino, o foco da questão centra-se no …fulano ; e uma vez mais descarrega-se na justiça, a responsabilidade de resolver problemas que, na essencia são, sobretudo, de natureza politica.


Figuras de Vila Real

Maria de Fátima Nunes Bento, T. Coronel Engenheira Electrotécnica no ramo de aviónica nasceu em meados da década de 1970, em justes, concelho de Vila Real.
Filha do meio de uma família de 5 irmãs viveu parte da sua infância em justes, Vila Real.
Anos mais tarde, veio a concluir o ensino secundário na Escola Secundaria Camilo Castelo Branco, nesse mesmo concelho, ingressando, de seguida, na academia da Força Aérea.
3 anos de curso na AFA mais três anos no IST curso de Engenharia Espacial.


De quando em vez Os C.T.T. e o serviço que deveriam presta

A concessão de “serviços públicos” uma maneira perfeitamente legitima de assegurar a equidade e igualdade entre os cidadãos, desde que o Estado seja o regulador e o fiscalizador desses Serviços.
Os jornais e outra Comunicação Social, nos últimos dias de Janeiro de 2021, referiam que entre 2017 e 2018, fecharam 33 estações dos C.T.T’s em todo o País, deixando os concelhos sem estação mas com um “Posto de Correios”, equivalente teoricamente às estações.


Bragança e o seu excelente aeródromo

A cidade de Bragança e todo o distrito tem demonstrado nestes últimos anos um sentido de desenvolvimento invulgar.
Assim, dentro desta vontade de ir cada vez mais longe, no bem-estar da região vem, dos meios que são postos ao seu dispor.
Infelizmente, neste País em que vivemos, há muito pouco conhecimento sobre o interior, e no caso de Bragança, poucos conhecem o seu aeródromo, considerado no topo ao nível nacional de aeródromos regionais.


A maioria dos ricos não sente a amargura dos pobres

Muitos ricos, indiscutivelmente, enriqueceram com as suas iniciativas, com a sua visão e também com o esforço e trabalho dos seus colaboradores.
Outros, roubaram simplesmente e se não roubaram herdaram, muitas vezes de quem roubou, como disse São Jerónimo. De resto, quem honestamente trabalha uma vida inteira nunca fica rico. A mim pouco me importa que os ricos sejam ricos, o que muito me aflige é que os pobres sejam cada vez mais pobres, que vivam neste nosso país em condições miseráveis, indignas de um ser humano.


A necessidade urgente duma mobilidade aérea no interior de Portugal

Não existem deslocações no interior de Portugal, utilizando carreiras aéreas abrangendo as populações fronteiriças desde Bragança, Miranda do Douro, Guarda, Castelo Branco, Portalegre, Évora, Beja, Vila Real de Santo António e Portimão.
O litoral deste país, principalmente a Linha do Norte da CP e as empresas rodoviárias asseguram, até com preços acessíveis as ligações, principalmente das regiões de Lisboa e do grande Porto.


Um olhar sobre Trás-os-Montes Parte II

Em Chaves há muito dinamismo por parte dos aviadores que lá vivem e de outros que a vida empurrou para fora da “Aquae Flavie”.
A cidade de Chaves merece um aeroporto secundário e ele está mesmo à porta da cidade. Só é necessário estudarem-se as condições necessárias a esse desideratum. Como transmontanos temos por obrigação defender Chaves. Vivemos alguns anos na Pensão Comércio, situada na altura no lado esquerdo da ponte romana de quem vem das Caldas.


Assinaturas MDB