F. Costa Andrade

Membro do MPN, CPLGSP e ONE

Coragem, Respeito, Responsabilidade, Justiça, Nobreza e Dignidade precisam-se

Volto à grande concentração a organizar pelo PCP nos dias 4,5 e 6 do próximo mês de setembro na sua quinta da Atalaia, na margem sul do Tejo para, a propósito dela, refletir sobre alguns conceitos muito simples, mas sempre atuais, como legitimidade, respeito, responsabilidade, coerência dignidade e justiça, demasiadas vez ignorados e omitidos no muito que sobre esta festa continua a ser dito e redito a todos os níveis.


A Festa do Avante 1 - O cair da máscara e o outro lado da moeda

Pontualmente como sempre, a suposta “festa” da reentrada política do PCP, realizada na quinta da Atalaia, ali para os lados da margem sul, de acordo com estratégias bem traçadas, continua a encher manchetes na comunicação, tentando, e muitas vezes conseguindo, vender a falácia de que os comunistas são os únicos donos da verdade, guardiões da democracia, defensores do povo trabalhador e detentores da razão. Tudo bem, nada a contestar e, enquanto tal, a cada um a sua verdade.


CHEGOU O NOVO MÊS DE AGOSTO DO NOSSO (DES)CONTENTAMENTO

Embora este ano num contexto diferente, eis-nos de novo a viver mais um nosso muito “querido mês de Agosto”, durante o qual os muitos dos transmontanos emigrados, regressam ao seu torrão natal para gozar as ansiadas e merecidas férias de Verão. Como nunca, neste terrível 2020, e pelas razões por todos bem conhecidas, há muito tempo que contávamos os dias, as horas e até os minutos que iam faltando para o regresso a casa de todos os que nos são queridos e, à medida que se aproximavam os dias da chegada, os corações batiam cada vez mais apressados, e as saudades apertavam cada vez mais.


O RATO………ROEU A ROLHA!

Nesta semana tórrida de Verão, o meu comentário sobre a recente e polémica criada com a nomeação da ex-deputada comunista Dr.ª Rita Rato para diretora do Museu do Aljube, Resistência e Liberdade em Lisboa, para ficar um pouco mais aligeirado, optei por dividi-lo em quatro partes distintas, (Introdução – Tese – Antítese e Síntese) esperando, que se enquadrem bem numa muito resumida síntese final. Se o conseguir, tudo bem mas, se falhar, fica a promessa de, para a próxima, tentar fazer melhor.
INTRODUÇÃO


TAP – O sinal vermelho ... e agora, ficaram (quase) todos muito felizes!....

Triste sina a de um povo que, sendo humilde e pobre, sem ser tido nem achado para nada, como aconteceu com a solução engendrada para maquilhar a situação calamitosa em que, mais uma vez, afun~dou/aram a TAP, tem de viver, condenado “ad eternum”, a aguentar com todos os caprichos e desmandos duma certa elite política, que se acoimou à sombra do orçamento, ( ou se perfila nas cadeiras da frente para lá se aboletar também) e se movimenta nos corredores alcatifados da área do poder no conforto do ar condicionado, povo esse que, qual bode expiatório dum crime que não cometeu, na sua grande m


Socializar, como e o quê?

Bem ao contrário do que muitos acreditam (?), e uns tantos teimam em querer convencer-nos, a grave situação económica e social desencadeada pela pandemia COVID-19, não está resolvida, nem sequer controlada, pelo que, tudo o que se faça para criar a ilusão de que o pior já lá vai, será pago com juros muito altos.


Mário Centeno: A saída pela porta dos fundos

Subitamente, nesta terra que ainda é a nossa, como que por encanto, parece que a vida parou e desapareceram todas as agruras e preocupações que afligiam os nossos dias e nos tiravam o sono , e tudo isto, imagine-se, porque nunca mais se sabia qual o destino que os azares da vida ou as benesses da sorte terão reservado para o Dr. Mário Centeno, o ministro das finanças agora substituído.