Bragança

Venda de terreno da câmara ao Hospital Privado é o caso político deste verão e volta à assembleia municipal para obter declaração de interesse público

Publicado por Glória Lopes em Qui, 2020-08-13 09:30

Ainda sem ser reconhecido o interesse público da venda de um terreno municipal à sociedade detentora do Hospital Privado de Bragança, os vereadores do Partido Socialista (PS) na câmara levantam agora novas suspeitas. Desta feita sobre as obras. Os vereadores, Graça Patrício e Nuno Moreno, consideram que se as obras de construção do Hospital Privado, no edifício do antigo ISLA, "estão paradas, quase paras ou em vias de parar", não é por causa da polémica levantada por esta força partidária, tal como dizem ter afirmado o presidente da Assembleia Municipal, Luís Afonso, ao Mensageiro na edição de 6 de agosto. "Pelo que nos parece que isso não seja verdadeiro ou razoável. Aquilo que nos parece é que se estão paradas é porque não podem prosseguir, porque não têm alvará de construção. Sem alvará de construção não pode haver obra ou a haver é ilegal e não deve acontecer. Hoje mesmo confirmei essa situação na reunião de câmara, perguntei ao presidente da câmara se havia alvará e a resposta foi que não. A questão que fica é saber como é que as obras que estão para trás aconteceram. Nós sabemos que há um licenciamento para demolição e para contenção periférica de terras. Aí tudo correu dentro da normalidade. Acontece que desde há umas semanas está a ser edificada obra nova, estão a ser levantados pisos e já nada tem a ver com isso. Não há alvará de construção", explicou Nuno Moreno, vereador socialista, durante uma conferência de imprensa realizada na passada segunda-feira, após a reunião de Câmara.
LEIA A NOTÍCIA COMPLETA NA EDIÇÃO IMPRESSA OU EM PDF