Susana Cipriano e Abílio Lousada

Igreja de Nossa Senhora da Assunção, Outeiro. Expressão Metamórfica do Xisto!

Implantada na margem direita do rio Maças, que traça a linha fronteiriça com Espanha, e distante 25 km de Bragança, Outeiro está referenciada desde D. Sancho I. Foi sucessivamente designada Outeiro de Asnas, Outeiro de Muas, Santa Maria de Outeiro, Outeiro de Miranda e, atualmente, Outeiro. Teve no castelo “dionisino”, situado no morro sobranceiro a 812 mt de altitude, em ruínas desde a guerra de 1762, o fiel guardião, e apresenta a seiscentista Igreja-Basílica do Santo Cristo como monumental imagem de marca.


Igreja de Nossa Senhora da Assunção, Vale de Nogueira. A Beleza retabular, pictórica e mística falam por si!

Aldeia da freguesia de Salsas, designava-se Ribeira de Lourenço na Carta de Foral recebida a 6 de fevereiro de 1299, no tempo de D. Dinis. Vila e sede concelho, era relevante em termos de comunicações viárias, sendo entreposto do correio real com estalagem para muda de cavalos. Foi extinta como concelho em 1836, passando a pertencer ao de Izeda e, a partir de 1855, com a extinção deste, ao de Bragança. Além da Igreja Matriz, em Vale de Nogueira existe o Santuário do Divino Senhor da Agonia, no lugar de Chãos, na estrada Nacional N.º 15, e a capela de Santa Ana, no “Bairro” de Fernand.


Capela de São Francisco, Sendas. “Das Chagas, uma vida nova”!

«Nasceu no mundo um sol», assim se referiu o poeta italiano Dante Alighieri a São Francisco de Assis, o «alter Christus», para o Papa Bento XVI. Criador da Ordem dos Frades Menores Franciscanos, este «irmão» de Jesus trocou a proveitosa vida de tecelão pela penitência das pobres vestes dos pastores e a glória de uma carreira militar pela bondade para com os desafortunados da vida. Fez votos de pobreza e pregou e viveu conforme a doutrina do Mestre, sendo muito escutado e venerado. Um exemplo de santidade, a quem Nosso Senhor estigmatizou no Monte La Verna, há precisamente 800 anos.


Igreja de São Frutuoso, Pombares. “Cenóbio” de Fé!

Aldeia encravada na encosta da Serra da Nogueira, «pendente para a parte do meio-dia» e distante 30 km de Bragança. É Freguesia desde as Inquirições de 1258 e recebeu Carta de Foral de D. Dinis em 1308, onde consta “villar de Põobares q antes avia nome pinhel q he de Rey e jaz sobre teixedo”. Integrada na comarca de Lampaças, foi comenda da Casa de Bragança. Pertence desde 2013 à União das Freguesias de Rebordaínhos e Pombares, que inclui a aldeia de Pereiros.


Igreja de Nossa Senhora do Ó, Refoios. Fonte da Vida – Veni!

Refoios, aldeia da freguesia do Zoio, juntamente com a de Martim, fica situada no sopé Ocidental da Serra da Nogueira em ponto de cota superior a 900mt, à distância de 20km de Bragança. Em 7 de maio de 1301, recebeu Foral pela mão de Afonso Rodrigues, procurador do rei D. Dinis. Posteriormente foi padroado da Casa de Bragança e a Igreja, designada de Nossa Senhora da Expectação, era filial da de São Mamede de Alimonde.


Capela do Divino Salvador, Sortes. Tríptico Retabular da Paixão de Cristo!

A freguesia de Sortes, que compreende a respetiva aldeia e as anexas de Lanção e Viduedo, situa-se na encosta Oriental da Serra da Nogueira, distante cerca de 16 km a Sudoeste de Bragança. A aldeia tem por templos católicos a Igreja Paroquial de São Mamede, da qual há notícia desde meados do século XIII, e a Capela do Divino Salvador, presumivelmente do século XV e requalificada pelo povo em 1693, conforme gravação na sineira.


Igreja de São Miguel, Palácios. Guardião Celeste é “Fonte de Encanto” em Terras da Lombada!

Inserida no Parque Natural de Montesinho, 15 km a Noroeste de Bragança, a aldeia de Palácios pertence desde 2013 à União das Freguesias de São Julião de Palácios e Deilão, juntamente com Caravela, Vila Meã e Petisqueira. Freguesia de Paços, assim denominada nas Inquirições de D. Afonso III (1258), com herdades agregadas ao Mosteiro do Castro de Avelãs, teve a Casa de Bragança por donatária a partir do século XV. Com a criação da Diocese de Miranda em 1545, o padroado da Igreja passou a pertencer “in solidum” ao Cabido. Seiscentista, a Igreja situa-se no meio da aldeia, delimitada por adro.


Capela de Nossa Senhora da Veiga, Alfaião E a junta de bois estacou por intercção da Virgem!

Situada na veiga de Alfaião, perto da ribeira do Penacal, no sopé de um castro com vestígios recentes de romanização, a origem da capela supõe-se seiscentista. Frei Agostinho de Santa Maria, na sua obra «Santuário Mariano …» (volume V, 1716, p. 651) anota a sua existência e a grande devoção a “Nossa Senhora das Veygas”, muito “frequentada de romagens”. Mas acrescenta: “não pude descobrir nada dos principios daquella sagrada Imagem, nem da origem daquelle seu Santuario”.


Assinaturas MDB