Alfândega da Fé

Cerejas juntam Zé Rodrigues e Eugénio de Andrade

Publicado por Glória Lopes em Qui, 2020-08-13 09:52

“Uma Cereja na Génese de Eugénio e Zé Rodrigues” é a exposição da XXI Bienal Internacional de Arte de Cerveira que junta no Centro Cultural de Alfândega da Fé dois grandes vultos da cultura portugueses, José Rodrigues e Eugénio de Andrade.
A mostra reúne trabalhos em desenho de quatro artistas, nomeadamente José Rodrigues, Artur Moreira, M. Sousa Pereira e Aurélio Mesquita, associados à poesia de Eugénio de Andrade que António Oliveira pesquisou e estudou. Foi inaugurada no passado sábado e gira pela gosto que ambos os homenageados tinham por cerejas. “Eles foram sempre amigos trabalhando em áreas diferentes, juntaram-se e fizeram coisas maravilhosas. Achamos que era altura de lhes fazer esta pequena homenagem”, explicou Cabral Pinto, diretor artístico da XXI Bienal Internacional de Arte de Cerveira, ressalvado que “havia o pequeno, grande pormenor, que era o facto de ambos gostarem de cerejas e serem de regiões onde as há, mas um escrevia muito bem sobre cerejas e outro desenhava-as muito bem”.
O pintor, cuja família é oriunda de Alfândega da Fé, e o poeta trocaram pinturas, poemas e cerejas durante cerca de duas dezenas de anos. A mostra contém obras inéditas, mostradas ao público pela primeira vez. “É a relação que existia entre eles, as cerejas e amizade”, destacou Cabral Pinto.