Mirandela

Diocese e autoridades locais decidem não haver celebrações religiosas no cemitério

Publicado por Fernando Pires em Qui, 2020-10-29 16:29

O Centro de Coordenação Operacional Municipal, reuniu, ontem à noite, e emitiu, esta quinta-feira, um edital onde refere as normas que estão previstas para os próximos dias, entre as quais, está a proibição de celebrações religiosas no interior dos cemitérios.
Recorde-se que, a partir de amanhã e até à próxima terça-feira, dia 3 de novembro, há restrições no acesso aos cemitérios. O Município de Mirandela já tinha aprovado um conjunto de medidas preventivas para a abertura controlada dos dois cemitérios municipais (na cidade).
Assim, o horário de funcionamento é das 08,00 horas ao meio-dia e no período da tarde das 14,00 horas às 17. Há um limite máximo do número de pessoas em simultâneo que será de 100 pessoas no cemitério de Mirandela (Velho) e 150 pessoas no cemitério de Golfeiras. Está também limitado a 15 minutos o tempo de permanência de cada pessoa no interior dos cemitérios. É obrigatória a desinfeção das mãos, o uso de máscara e o cumprimento do distanciamento físico de, pelo menos, 2 metros entre pessoas.
Como a gestão dos cemitérios das aldeias e da vila do concelho, é da competência das Juntas e Uniões de Freguesias, foi recomendada a aplicação e adoção das mesmas medidas, adaptadas a cada realidade.
Estava definido que não haveria celebrações religiosas no interior dos dois cemitérios da cidade, mas agora essa proibição estende-se a todo o concelho.
Esta decisão já provocou uma reação do presidente da junta de freguesia de Cedães. António Martins, avança na página da rede social do Facebook da junta de freguesia, que “face a esta situação e após contacto com os párocos locais ficam sem efeito as missas nos cemitérios conforme estava atempadamente divulgado e preparado. Lamentamos que uma decisão destas não seja tomada atempadamente e com um consenso alargado entre todas as entidades e autarquias locais responsáveis pela gestão dos espaços. Continuamos a achar que é mais seguro a missa no cemitérios, do que dentro de algumas igrejas e capelas que não têm condições para receber a população”, diz o presidente da junta de freguesia de Cedães, ressalvando que “não querendo contribuir para qualquer polémica institucional, iremos acatar a recomendação”.